Medindo o sucesso de uma startup

Geralmente, as empresas usam como principal indicador de sucesso a análise da “última linha” do seu DRE (Demonstrativo de Resultados), que indica se o negócio está tendo lucro ou prejuízo.

Entretanto, esse não é um indicador viável para medir o sucesso de uma startup, já que é uma empresa em fase inicial atuando em um ambiente de mercado bem incerto.

 

Assim, empreendedores precisam estar atentos às métricas para avaliar o desempenho da sua startup. As métricas são uma forma de medir o desempenho do negócio e os resultados das ações de marketing. Elas devem estabelecer comparações que possibilitem avaliar estratégias e promover mudanças e ajustes necessários.

Existem algumas métricas básicas que ajudam a medir o sucesso de um startup. Confira quais são elas:

Clique e conheça mais sobre o AgoraOS.

1. Custo de Aquisição do Cliente (CPA) x Lifetime Value (LTV)

Compara quanto é gasto para conquistar um cliente e quanto esse cliente gerará de receita em média no período em que se mantiver ativo.

A receita gerada precisa ser significativamente maior do que o custo do cliente, pois a receita não só deve cobrir o CPA como também todos os outros custos e despesas da startup e ainda gerar lucro.

2. Escalabilidade

Avalia o aumento das receitas em comparação com o aumento das despesas.

As receitas devem crescer em uma proporção bem maior do que as despesas para que o negócio possa se tornar lucrativo.

Se as duas empatam ou se as despesas estão maiores é preciso rever estratégias para que a startup tenha a chance de reverter essa situação.

3. EBITDA

Sigla em inglês do conceito de “Lucro antes dos Juros, Impostos, Depreciação e Amortização”, que mede a capacidade do negócio gerar caixa, sem levar em conta os investimentos efetivados.

4. Crescimento Real das Receitas

Fazer comparações de períodos anteriores, levando em consideração lucro líquido, lucro bruto e valores das despesas de forma geral.

Permite exibir o potencial de crescimento da startup a curto prazo, o que ajuda a conquistar a confiança de investidores que queiram injetar dinheiro no negócio, pois mostra que ele terá um bom retorno do capital que aplicar.

5. Índice de cancelamento ou Taxa de Churn

Conseguir novos clientes não é o mesmo que reter clientes, ou seja, não assegura o sucesso da startup.

Desse modo, tal métrica avalia quantos clientes cancelaram o serviço após um intervalo de tempo específico (geralmente mensal, no máximo trimestral).

Para isso, basta dividir o número de clientes que fizeram o cancelamento pelo número de clientes que continuaram ativos nesse mesmo período. O resultado obtido deve ser o menor possível.

6. Taxa de conversão

Mostra a quantidade de clientes potenciais que se tornaram ativos. Pode ser analisada em comparação com as médias do mercado para cada segmento, avaliando, assim, a aderência do produto/serviço.

É importante lembrar que outras métricas também podem ajudar na avaliação do desempenho de uma startup.

Existem ainda métricas que não indicam obrigatoriamente um reflexo nos resultados, são as chamadas “métricas da vaidade” (números de seguidores em redes sociais ou de acessos, por exemplo).

Leia Mais:

O que é Startup?